Junior Miranda

quinta-feira, 23 de março de 2017

Thalles pede perdão ao público: “quero assumir o meu erro”

"Hoje eu entendo que chegou um tempo [...] de pedir perdão às pessoas que ficaram magoadas por declarações que eu fiz", diz cantor.

O cantor e compositor mineiro Thalles promoveu, em sua página oficial no Facebook nesta quarta-feira (22), uma videoconferência. Na ocasião, ao lado de sua esposa e do violão, cantou músicas e fez um pronunciamento e um pedido de perdão ao público.

Na live stream, Thalles falou acerca das polêmicas ocorridas em 2015 que, de forma direta, prejudicaram sua carreira musical. Na época, o intérprete afirmou que o seu disco sucessor seria dedicado ao público não-religioso e que, diante ao status alcançado em seu trabalho artístico, não tinha mais como crescer como intérprete evangélico.

No entanto, o artista foi criticado pelo público e por outros intérpretes evangélicos pela forma que divulgou a novidade. O episódio, que chegou a ser conhecido popularmente como “acima da média“, chegou a ser comentado por cantores como Leonardo Gonçalves, Cassiane, Luiz Arcanjo, Vanilda Bordieri e outros.

Por isso, o artista decidiu, quase dois anos depois do ocorrido, apresentar um pedido de desculpas direto ao público pelo episódio. “E eu não quero me justificar. Eu quero assumir o meu erro diante de todas as pessoas. Assumir o meu erro diante de todos os meus irmãos cantores, às pessoas que eu falei todas aquelas bobagens”, afirmou o artista.

De acordo com Thalles, o episódio afetou também seu público. “Hoje eu entendo que chegou um tempo muito especial. Um tempo de pedir perdão às pessoas que ficaram magoadas porque, há um tempo atrás, um vídeo foi divulgado na internet de umas declarações que eu fiz. E machucou muita gente”.

“Hoje foi um dia muito importante pra mim porque… poxa, hoje eu pude falar com Anderson Freire, falei com André Valadão, falei com Fernandinho, falei com a Bruna Karla, eu chamei os meus irmãos e falei, pedi perdão a eles. Pedi perdão a alguns pastores e vou continuar fazendo isso. Mas eu não podia fazer isso sem vir publicamente gravar este vídeo”, completou o artista.

Thalles, no vídeo, também afirmou que, durante este período em que desempenhou funções de pastor da Renascer em Cristo e se apresentou em outros países do continente, passou por um processo pessoal para que conseguisse, enfim, pedir definitivamente perdão ao público pelo ocorrido. “Isso era um peso no meu coração, sabe?”, contou o compositor.

O músico chegou a comentar a polêmica em outras ocasiões, no entanto, sua principal tese de argumentação era de que tinha sido mal interpretado. Desta vez, Thalles encarou seu discurso, proferido em 2015, como uma “bobagem”. “Hoje é uma alegria tão grande de, talvez… É muito difícil de entender o que estou sentindo de vir aqui e gravar este vídeo de perdão. Um perdão para a Igreja de Jesus Cristo”, disse.

Assistir ao Video

Fonte: GospelPrime

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

quarta-feira, 22 de março de 2017

Goleiro Bruno: “Não existe pecadinho e pecadão. Tudo é pecado”

Convertido na cadeia, afirma que está arrependido e hoje é uma pessoa melhor


O goleiro Bruno Souza, 32 anos, está recomeçando sua carreira no Boa Esporte, time de Varginha, região sul de Minas Gerais. Após ficar preso por seis dos 22 anos a que foi condenado pela morte de Eliza Samudio, mãe do seu filho, desde o final de fevereiro aguarda em liberdade o recurso contra sua condenação ser julgado em segunda instância.

Entre as diversas entrevistas que deu nos últimos dias, falando ao canal ESPN, o ex-jogador do Flamengo falou sobre sua mudança de vida. Ele aceitou Jesus e se converteu na prisão, tendo se batizado nas águas em 2012.

Na época, os pastores Anderson e Aline Duarte, líderes da Igreja Evangélica Restaurando Vidas, contam que o goleiro mostrava resistência e desconfiança nos cultos. Contudo, o jogador sempre demonstrou que queria mudar de vida.

Em vários momentos da entrevista à ESPN, Bruno falou sobre Deus. “Não sou bandido. Cometi um erro. Grave? Grave. (…)Deus faz as coisas na hora certa, nunca me abandonou naquele lugar… Foi um choque para o Brasil inteiro, mas eu peço uma oportunidade de recomeçar a vida”, assevera.


Para ele é natural que volte a jogar agora que está fora da prisão. “Quando um pedreiro ou motorista saem, eles vão voltar para isso. A única coisa que eu sei fazer na vida é jogar futebol, por isso, não posso largar meu sonho. Peço oportunidade para as pessoas reverem, não vou parar, vou dar sequência à minha carreira, cara, eu vou, tenho coragem, o pior da minha eu passei”, afirmou.

Embora evite falar sobre o crime, cometido em 2010, disse que hoje é uma pessoa melhor. “O que passou, passou. “Você tem que se arrepender das coisas do passado e se tornar uma pessoa melhor. Não é porque você está no fundo do poço que tem que ficar lá, não. (…) É uma mancha que vou carregar para o resto da minha vida”. (…) A gente tem que falar de mais amor para as pessoas. Amor é Deus. Sei que Deus vai me colocar no lugar que tiver que colocar.”

Disse ainda que está preparado para críticas, mas tem na fé seu consolo. “O que importa para mim é o amor de Deus, pedi perdão a Deus, tive momento único com Deus”, insiste, sem dar detalhes.

Ao tentar mostrar que mereceria uma nova oportunidade no esporte, lembrou do caso envolvendo o ex-jogador Edmundo, que matou 3 pessoas num acidente de trânsito em 1995, mas continuou atuando nos gramados.

“Vou citar o caso de Edmundo, passou a carreira toda tentando superar, não sou a pessoa mais capacitada para julgar. É um cara que pego como exemplo. Dentro do estádio, vou ouvir muitas coisas? Vou, mas não estou comparando caso e caso. Não existe pecadinho e pecadão. Tudo é pecado”, sublinhou.


Fonte: GospelPrime
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Pastor e escritor Paul Washer sofre ataque cardíaco e é internado em estado grave

Paul Washer, pastor, conferencista, missionário e escritor norte-americano, foi internado após sofrer um ataque cardíaco na última segunda-feira, 20 de março. 
A condição de saúde de Paul Washer, pregador internacionalmente conhecido por sua contundência ao pregar o Evangelho, é crítica, de acordo com informações do ministério HeartCry Missionary, que ele lidera. 
A informação sobre o problema de saúde foi divulgada na página do ministério no Facebook, e a nota informa que embora a condição de Washer inspire cuidados, ele foi estabilizado pelos médicos. 
Na nota, as informações não foram aprofundadas sobre quais procedimentos e exames o pregador seria submetido. “Ontem à noite, o irmão Paul sofreu um ataque cardíaco. Ele está em estado crítico, embora atualmente estável. Por favor ore por ele e por sua família!”, resumia a nota. 
Na noite da última terça-feira, a assessoria do pastor Paul Washer usou a página para atualizar as informações e agradecer as orações: “Um típico primeiro dia no hospital: muita espera, sem muitas notícias. No entanto, Paul está descansando bem esta tarde. Obrigado pelas orações!”. 

Ódio ao pecado

Uma das afirmações mais francas e polêmicas de Paul Washer, defendidas inclusive em um livro, é que “Deus odeia o pecado e também o pecador“.
O argumento de Washer é baseado na teoria de que o amor e o ódio são sentimentos opostos, e se alguém ama determinada coisa, odeia o oposto dela. 
“Você ama bebês? Se você ama bebês então deve odiar o aborto! Você ama Judeus? Se você ama Judeus então você deve odiar o Holocausto! Você ama a Liberdade? Se você ama a Liberdade você deve odiar a escravidão! Não tem como ser neutro nessas situações, se você realmente ama o que é certo, o que é perfeito, o que é bom então você também odiará e se oporá contra tudo que contradiz aquele padrão”, explica Washer. 
Paul Washer entende que a repulsa de Deus não é só apenas ao pecado, mas também ao pecador, e que a morte de Cristo, serviu para conter a ira divina sobre a humanidade. 
“O Cristo foi pregado na Cruz, e Ele morreu, e com Sua morte Ele satisfez a Justiça de Deus! A Bíblia diz: “Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus” Rm 3:23. A Bíblia diz: “O salário do pecado é a morte” Rm 6:23. Cristo se tornou homem, viveu uma vida perfeita, sob a Lei, foi pregado naquela Cruz e morreu a morte do Seu povo! Morrendo daquela forma Jesus satisfez a Justica de Deus! E apaziguou a Ira de Deus”. 

Fonte: GospelMais
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

quinta-feira, 16 de março de 2017

Enfermeira revela cenário de horror em clínicas de aborto: “Peneiram os corpos para ver se não falta nada”

A prática do aborto se tornou uma verdadeira indústria, com milhões de assassinatos cometidos ao longo dos anos sob a bandeira da liberdade sexual feminina e a simpatia de políticos de esquerda. Uma ex-enfermeira que atuou em uma clínica dedicada a esse tipo de procedimento revelou detalhes assustadores do cotidiano dessas empresas.

Marianne Anderson foi enfermeira de uma clínica da franquia Planned Parenthood, dedicada aos procedimentos de interrupção de gestações, e durante seu tempo como funcionária, foi pressionada a cumprir metas de abortos para que não fosse demitida, além de presenciar o desprezo completo dos médicos pelos corpos dos bebês abortados.

Segundo o depoimento da enfermeira ao portal Christian News, os médicos “peneiravam” os restos mortais dos bebês para se certificarem de que haviam extraído todas as partes do útero da mãe.

“Quando o procedimento de aborto era finalizado, o médico colocava os instrumentos sujos na pia e pegava o frasco com os produtos de concepção – como eles chamavam os bebês. Eles despejavam tudo em uma peneira gigante, daquelas que a gente usa para peneirar farinha […] Com as mãos, ele verificava as peças para ter certeza de que todas estavam lá”, narrou.

“Eu nunca vou esquecer ele dizendo: ‘E agora, onde está seu bracinho? Estou perdendo esse bracinho’”, lamentou, sobre um episódio que a marcou. Outro médico a teria deixado sem reação com um comentário sobre a formação do corpo do bebê: “‘Dá até para ver os pequenos vasos sanguíneos!'”, disse o abortista.

A pressão de trabalhar em uma clínica que mais se assemelhava a um açougue era intensa: “Foi um trabalho muito triste. Você tinha que cumprir uma meta de abortos mensal para continuar trabalhando lá. Em nossas reuniões, eles nos diziam: ‘Se os abortos forem perdidos, você poderá ser mandado para casa mais cedo'”, disse Marianne Anderson.

“Houve momentos em que eu não conseguia, eu corria para o banheiro ou para o corredor apenas para sair de lá por um tempo”, disse.
Mercado negro

A Planned Parenthood é a maior clínica de abortos dos Estados Unidos, e até o fim do governo do presidente Barack Obama, recebia subsídios do governo sob o pretexto de ser um local dedicado à saúde da mulher. O presidente Donald Trump cortou as verbas e ofereceu a possibilidade de voltar a financiar a clínica, desde que ela pare de praticar abortos.

A mídia norte-americana faz vista grossa aos escândalos que cercam essa rede de assassinatos. Em julho de 2015, uma diretora de alto escalão da Planned Parenthood foi flagrada negociando a venda de partes dos corpos dos bebês retirados dos ventres.

A doutora Deborah Nucatola foi filmada admitindo que usava os abortos como forma de obter partes do corpo das crianças para fornecer partes intactas a compradores do mercado negro.

Durante a conversa, de mais de duas horas, Nucatola admite que a Planned Parenthood utiliza procedimentos ilegais durante os abortos, usando uma técnica de nascimento parcial do bebê para que se pudesse obter “peças vendáveis”, numa referência às partes do corpo das crianças.

A médica afirmou ainda que a organização sabe que essa prática é crime federal, com pena prevista de 10 anos e multa de até US$ 500 mil, mas que tomava medidas para encobrir os crimes.

“Temos sido muito bons em conseguir coração, pulmão, fígado, porque sabemos que, [como precisamos delas] então não vamos esmagar essa parte, eu vou esmagar basicamente abaixo, eu vou esmagar acima, e eu estou vendo se eu poderei obter tudo intacto”, narrou na ocasião, durante a conversa com investigadores disfarçados de compradores.

Fonte: GospelMais
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

quarta-feira, 15 de março de 2017

Discordar da ideologia de gênero não é homofobia, é biologia

“Nascer homem ou mulher não é um fato cultural, é biológico”, afirma doutora.

“Não aceitar ideologia de gênero não é discriminação, não é ser intolerante nem homofóbico”, mas “é simplesmente biologia”, assegurou a doutora em biodiversidade, genética e evolução, Pamela Puppo.

De acordo com o Aci Digiltal, em um artigo publicado no site Posición.pe, com a temática “Sobre a ideologia de gênero”, a Doutora Puppo explicou que “quando os fetos são formados, têm dois cromossomos sexuais, XX ou XY, se for menina (XX) ou menino (XY). Os genes contidos nesses cromossomos determinam o desenvolvimento físico dos fetos. Deste modo, os embriões desenvolvem diferentes órgãos de acordo com o seu sexo”. A especialista destacou que “isto não é discriminação, é simplesmente biologia”.

A doutora apresentou que, contrariamente aos princípios da ideologia de gênero, “o fato de nascer homem ou mulher não é um fato cultural, é biológico”.

A cientista estabeleceu uma analogia para provar que ser contra a ideologia de gênero não é homofobia. “Não me digam que quando uma mulher que está grávida faz o ultrassom para saber o sexo do bebê e pergunta ao seu médico se é menino ou menina ela está sendo homofóbica?”, comentou.

“Esta ideologia é uma corrente de pensamento, não uma teoria científica, muito menos uma evidência científica, sustenta que os seres humanos são ‘neutros’ quando nascemos e podemos escolher se queremos ser homens, mulheres, ou uma combinação de ambos quando crescemos”. Mesmo assim, orienta que “o sentimento não supera a natureza”.

Encerrando o artigo, a Dra. Puppo lembrou que “a igualdade não é conquistada negando as nossas diferenças sexuais, a igualdade é alcançada por meio do respeito das diferenças de cada sexo e o que cada sexo contribui para a sociedade”.

Fonte: Gospelprime
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...